Museu Casa Alfredo Andersen

(Crédito: Mariana Alves)

O Museu Casa Alfredo Andersen (MCAA) está de volta à cena artística de Curitiba. O espaço estava em processo de revitalização desde agosto e reabre com programação gratuita. Com uma nova expografia, identidade visual e proposta curatorial, o espaço reabre nesta sexta-feira, 07, a partir das 9h, com a exposição inaugural in situ/ em trânsito e a sala rotativa A Razão da Paisagem. Ao longo do dia também haverá uma programação especial com curadores, pesquisadores e a equipe que assina o novo projeto expográfico.
Consolidar o Museu Casa Alfredo Andersen é uma conquista para a cultura paranaense. Não é somente a casa do artista que foi revitalizada, mas a leitura de sua obra também passou a ser olhada por importantes críticos contemporâneos. Andersen não só ultrapassou as fronteiras de seu país, como as gerações, pois segue sendo admirado e estudado até os dias de hoje”, diz João Luiz Fiani, secretário de Estado da Cultura.
Com curadoria de Eliane Prolik e Adolfo Montejo Navas, e remodelação expográfica assinada pela Ato1Lab, a mostra Alfredo Andersen: in situ/em trânsito revela a nova designação da casa, ateliê e escola que celebra a trajetória e a obra do artista. O conceito é uma referência à polaridade vivida por Andersen, ao ser estrangeiro e mudar-se para o Brasil. “A biografia de sua vivenda e ateliê arrastam dois universos pessoais: sua vida familiar e de ensino da arte com a comunidade. O projeto e a expografia revitalizam e reativam o rico acervo do pintor, e, sobretudo, colocam em foco a memória de sua obra como fundamento artístico”, explicam os curadores.
Uma das vertentes mais reconhecidas da obra de Alfredo Andersen foi a exploração da paisagem. A sala rotativa, um dos destaques da programação, receberá exposições contemporâneas, conectadas à produção de Andersen. A primeira curadoria, assinada por Adolfo Montejo Navas, recebe o nome de A Razão da Paisagem e a convidada para dar as boas-vindas é a artista contemporânea Geórgia Kyriakakis, que traz dois trabalhos emblemáticos: Coordenadas (2011/2018) e Longe Daqui [Oeste] (2014). Trata-se de uma instalação com mesas suspensas que desnorteiam seu centro de gravidade e um conjunto de fotografias que, com sinergia visual, demarcam a ação do vento em árvores.
Na reabertura, o público também irá se deparar com novas rotas de visitação, conhecer obras raras que pertencem a colecionadores, bem como os objetos pertencentes à história do mestre e que revelam boa parte do seu processo artístico. “O visitante terá uma nova visão do museu, com elementos contemporâneos, incluindo um eixo de acessibilidade com legendas em braille que contempla três obras táteis de nosso acervo: Autorretrato, Duas raças e Lavando Roupa”, comenta a diretora do MCAA, Débora Maria Russo.
Confira a programação:
07.12 | às 10h
Visita guiada com os curadores Adolfo Montejo Navas e Eliane Prolik
07.12 | às 11h
Conversa com a Ato1Lab | A expografia do Museu Casa Alfredo Andersen
07.12 | às 14h
Conversa com Mariana von Hartenthal | Fotografia no acervo MCAA
07.12 | às 15h
Conversa com Amélia Siegel Corrêa | A trajetória Andersen
07.12 | às 17h
Bate-papo com o bisneto do pintor e presidente da Sociedade Amigos de Alfredo Andersen (SAAA), Wilson José Andersen Ballão
Serviço
Reabertura Museu Casa Alfredo Andersen
Data: 07/12/2018
Local: Museu Casa Alfredo Andersen (Rua Mateus Leme, nº 336 – Centro)
Entrada gratuita

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.