Análise | Globo de Ouro 2018

Uma premiação ofuscada por protestos contra os assédios sexuais ocorridos em Hollywood. Se podemos resumir o que foi o 75º Globo de Ouro, realizado neste domingo (7), seria exatamente desta forma: o ano em que as vozes femininas da indústria do cinema perderam o medo e conseguiram deixar claro que os abusos de outrora perderam seu espaço.

Infelizmente, não foi o suficiente para barrar os prêmios direcionados a Gary Oldman e James Franco, dois atores com casos notórios de agressões e abusos contra mulheres: premiados como melhores atores, nas categorias de Drama e Comédia/Musical, por seus trabalhos em “O Destino de Uma Nação” e “Artista do Desastre“, já despontam como favoritos na corrida pelo Oscar, previsto para acontecer em março.

De qualquer forma, a cerimônia não reservou grandes surpresas, mas foi pródiga em grandes discursos e momentos. A emoção tomou conta quando Oprah Winfrey e Guillermo Del Toro subiram ao palco: Oprah, ao receber o troféu Cecil B. de Mille, relembrou a trajetória de inúmeras trabalhadoras anônimas, e enfatizou em sua fala o apoio a mulheres vítimas de abuso sexual e o combate ao racismo; Já Guillermo, ao receber o prêmio de Melhor Diretor por “A Forma da Água“, sensibilizou o público ao contar que os mundos e criaturas de seus filmes foram originados de experiências suas nos primeiros 11 anos de vida.

Aliás, foi exatamente no momento do anúncio dos indicados a Melhor Diretor que surgiu um dos momentos mais catárticos e contundentes da noite: Natalie Portman, ao lado de Ron Howard, corrigiu o ator e diretor quando ele anunciou os candidatos ao prêmio. Usando a frase “aqui estão todos os indicados do sexo masculino”, Natalie deixou clara a falta de representatividade feminina entre os nomes indicados.

Os vencedores você confere a seguir, em negrito. Mas não foi o mais importante.  O que realmente importa é a certeza de que algo mudou em Hollywood. E para sempre.

CINEMA

Melhor filme – Drama

  • “Me chame pelo seu nome”
  • “The Post: A guerra secreta”
  • “Dunkirk”
  • “A forma da água”
  • “Três anúncios para um crime” 

Melhor filme – Comédia/Musical

  • “Artista do desastre”
  • “Corra!”
  • “Eu, Tonya”
  • “Lady Bird: É hora de voar”
  • “O rei do show”

Melhor diretor

  • Christopher Nolan (“Dunkirk”)
  • Guillermo del Toro (“A forma da água”)
  • Martin McDonagh (“Três anúncios para um crime”)
  • Ridley Scott (“Todo o dinheiro do mundo”)
  • Steven Spielberg (“The Post: A guerra secreta”)

Melhor ator de filme – Drama

  • Daniel Day-Lewis (“Trama fantasma”)
  • Denzel Washington (“Roman J. Israel, Esq.”)
  • Gary Oldman (“O destino de uma nação”)
  • Timothée Chalamet (“Me chame pelo seu nome”)
  • Tom Hanks (“The Post: A guerra secreta”)

Melhor atriz de filme – Drama

  • Frances McDormand (“Três anúncios para um crime”)
  • Jessica Chastain (“A grande jogada”)
  • Meryl Streep (“The Post: A guerra secreta”)
  • Michelle Williams (“Todo o dinheiro do mundo”)
  • Sally Hawkins (“A forma da água”)

Melhor ator de filme – Comédia/Musical

  • Ansel Elgort (“Em ritmo de fuga”)
  • Daniel Kaluuya (“Corra!”)
  • Hugh Jackman (“O rei do show”)
  • James Franco (“Artista do desastre”)
  • Steve Carell (“A guerra dos sexos”)

Melhor atriz de filme – Comédia/Musical

  • Emma Stone (“A guerra dos sexos”)
  • Helen Mirren (“Ella e John”)
  • Judi Dench (“Victoria e Abdul – O confidente da rainha”)
  • Margot Robbie (“Eu, Tonya”)
  • Saoirse Ronan (“Lady Bird: É hora de voar”)

Melhor atriz coadjuvante de filme

  • Allison Janney (“Eu, Tonya”)
  • Hong Chau (“Pequena grande vida”)
  • Laurie Metcalf (“Lady Bird: É hora de voar”)
  • Mary J. Blige (“Mudbound – Lágrimas sobre o Mississipi”)
  • Octavia Spencer (“A forma da água”)

Melhor ator coadjuvante de filme

  • Armie Hammer (“Me chame pelo seu nome”)
  • Christopher Plummer (“Todo o dinheiro do mundo”)
  • Richard Jenkins (“A forma da água”)
  • Sam Rockwell (“Três anúncios para um crime”)
  • Willem Dafoe (“Projeto Flórida”)

Melhor roteiro de filme

  • Guillermo del Toro (“A forma da água”)
  • Aaron Sorkin (“A grande jogada”)
  • Greta Gerwig (“Lady Bird: É hora de voar”)
  • Liz Hannah e Josh Singer (“The Post: A guerra secreta”)
  • Martin McDonagh (“Três anúncios para um crime”)

Melhor animação

  • “Com amor, Van Gogh”
  • “O poderoso chefinho”
  • “O touro Ferdinando”
  • “The Breadwinner”
  • “Viva: A vida é uma festa”

Melhor filme em língua estrangeira

  • “Em pedaços”
  • “First They Killed My Father: A Daughter of Cambodia Remembers”
  • “Nelyubov”
  • “The Square”
  • “Uma mulher fantástica”

Melhor trilha sonora de filme

  • Alexandre Desplat (“A forma da água”)
  • Hans Zimmer (“Dunkirk”)
  • Vários (“The Post: A guerra secreta”)
  • Jonny Greenwood (“Trama fantasma”)
  • Carter Burwell (“Três anúncios para um crime”)

Melhor canção original para filme

  • “Home”, de “O touro Ferdinando”
  • “Mighty River”, de “Mudbound – Lágrimas sobre o Mississipi”
  • “Remember me”, de “Viva – A vida é uma festa”
  • “The star”, de “A estrela de Belém”
  • “This is me”, de “O rei do show”

TV

Melhor série – Drama

  • “Game of Thrones”
  • “The Handmaid’s Tale”
  • “Stranger Things”
  • “The Crown”
  • “This is us”

Melhor série – Comédia/Musical

  • “Black-ish”
  • “Master of None”
  • “SMILF”
  • “The Marvelous Mrs. Maisel”
  • “Will & Grace”

Melhor série limitada/Filme para TV

  • “Big Little Lies”
  • “Fargo”
  • “Feud”
  • “The Sinner”
  • “Top of the Lake”

Melhor ator de série – Drama

  • Bob Odenkirk (“Better Call Saul”)
  • Freddie Highmore (“The Good Doctor”)
  • Jason Bateman (“Ozark”)
  • Liev Schreiber (“Ray Donovan”)
  • Sterling K. Brown (“This is us”)

Melhor atriz de série – Drama

  • Caitriona Balfe (“Outlander”)
  • Claire Foy (“The Crown”)
  • Elisabeth Moss (“The Handmaid’s Tale”)
  • Katherine Langford (“13 Reasons Why”)
  • Maggie Gyllenhaal (“The Deuce”)

Melhor ator de série – Comédia/Musical

  • Anthony Anderson (“Black-ish”)
  • Aziz Ansari (“Master of None”)
  • Eric McCormack (“Will & Grace”)
  • Kevin Bacon (“I Love Dick”)
  • William H. Macy (“Shameless”)

Melhor atriz de série – Comédia/Musical

  • Alison Brie ( “GLOW”)
  • Frankie Shaw (“SMILF”)
  • Issa Rae (“Insecure”)
  • Pamela Adlon (“Better Things”)
  • Rachel Brosnahan (“The Marvelous Mrs. Maisel”)

Melhor atriz de minissérie/Filme feito para TV

  • Jessica Biel (“The Sinner”)
  • Jessica Lange (“Feud”)
  • Nicole Kidman (“Big Little Lies”)
  • Reese Witherspoon (“Big Little Lies”)
  • Susan Sarandon (“Feud”)

Melhor ator de minissérie/Filme feito para TV

  • Robert De Niro (“O mago das mentiras”)
  • Ewan McGregor (“Fargo”)
  • Geoffrey Rush (“Genius”)
  • Jude Law (“The Young Pope”)
  • Kyle MacLachlan (“Twin Peaks”)

Melhor atriz coadjuvante em série/minissérie/filme para TV

  • Ann Dowd (“The Handmaid’s Tale”)
  • Chrissy Metz (“This is us”)
  • Laura Dern (“Big Little Lies”)
  • Michelle Pfeiffer (“O mago das mentiras”)
  • Shailene Woodley (“Big Little Lies”)

Melhor ator coadjuvante em série/minissérie/filme para TV

  • Alexander Skarsgård (“Big Little Lies”)
  • Alfred Molina (“Feud”)
  • Christian Slater (“Mr. Robot: Sociedade Hacker”)
  • David Harbour (“Stranger Things”)
  • David Thewlis (“Fargo”)
Henrique Romanine
Henrique Romanine
Henrique, ou Hique, como é conhecido, sempre quis ser jornalista, desde criança. Após passar pelas Artes Cênicas e Ciências Sociais, não conseguiu escapar da real vocação. Apaixonado por cinema, literatura, música e séries, considera a observação a sua grande aliada. Apesar da cara fechada, não escapa de um bom papo.