Cineclube Solax


Mulheres cineastas ganham visibilida. O novo projeto de em ação do Sesi Cultura Paraná: Cineclube Solax terá uma programação especial voltada à exibição de filmes dirigidos por mulheres. O público terá a oportunidade de conhecer e debater obras de grandes diretoras, localizando a presença dessas realizadoras ao longo de diferentes momentos da história do cinema mundial. A programação inicia no sábado, 06, no Centro Cultural Casa Heitor Stockler de França, com entrada franca. Ao todo, serão 10 encontros até dezembro.
Desde os primórdios do cinema, passando pelas vanguardas europeias e a Era de Ouro de Hollywood até chegar ao cinema experimental e o cinema noir, em todos esses períodos e movimentos artísticos, as mulheres tiveram participação significativa como cineastas. O Cineclube Solax pretende retratar cada um dos episódios históricos citados anteriormente exibindo longas metragens dirigidos por mulheres. A intenção é oportunizar ao público de Curitiba o contato e a reflexão sobre a obra dessas artistas. Durante as sessões, haverá também um bate-papo que será disparado pelas produções e textos sugeridos pelas cineclubistas aos participantes.
Confira a programação:
06 de outubro – das 15h às 18h – Pioneiras do Cinema
10 de outubro – das 18h às 21h – Vanguardas Européias
17 de outubro – das 18h às 21h – Era de Ouro – Hollywood
24 de outubro – das 18h às 21h – Cinema Experimental
31 de outubro – das 18h às 21h – Cinema Noir
14 de novembro – das 15h às 18h – Nouvelle Vague
21 de novembro – das 18h às 21h – Novo Cinema Alemão
28 de novembro – das 18h às 21h – Era de Ouro – Cinema Senegalês
1º de dezembro – das 15h às 18h – Cinema Novo Argentino
5 de dezembro – das 18h às 21h – Cinema Novo Brasileiro
Serviço
Cineclube Solax
Data: De 06/10 a 05/12/2018
Local: Casa Heitor Stockler de França (Av. Mal. Floriano Peixoto, 458 – Centro)
Gratuito
Classificação: 16 anos

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.