Crítica: Angry Birds 2

Já imaginou um jogo se transformar em filme? Em 2016 chegou aos cinemas o Angry Birds que trazia uma história para os bichinhos que até então só tinham vida em jogos, se tornam popular nos smartphones. A aposta deu certo e está chegando aos cinemas a sequência, o Angry Birds 2.

O novo filme retoma, em rápidas cenas, a situação do primeiro Angry Birds e a guerra entre as ilhas, mas desta vez pássaros e porcos terão que fazer as pazes e se juntar conta algo maior: a ilha das Águias. Red tem a função de reunir algumas pessoas para combater a vilã Zeta que quer acabar com a olha dos pássaros e porcos, para isso ele conta com seus fiéis amigos Bomba, Chuck e o porco Leonardo. Se apresenta também para ajudar Silver, irmã de Chuck, e a cabeça pensante do grupo. Em paralelo, temos os três filhotes, aqueles que nasceram no primeiro filme, e que vivem uma história paralela parecida com Scrat, da Era do Gelo.

Angry Birds 2 é dirigido por Van Ornam e aposta Em uma história simples contada em um pouco mais de uma hora e meia. Apesar do enredo todo fazer com que os personagens, pássaros e porcos se unam para destruir uma arma poderosa criada pela vila das águias. A continuação pode ser considerada mais bem sucedida do que o primeiro filme, com piadas mais elaboraras – mas ainda assim excessivas – e elementos que irão integrar o público adulto ao filme, como o motivo de Zeta querer destruir a ilha e alguns elementos feministas, discussão machista e insegurança pessoal estão inclusos no longa-metragem. Outro destaque fica para a trilha sonora que ajuda a situar o filme, como “Final Countdown”, “Eye of the Tiger”’, “I´m Too Sexy” e até ópera.

A animação é repleta de piadas, e este humor funciona bem graças a dublagem feita por Marcelo Adnet (Red), Fábio Porchat (Chuck), Dani Calabresa (Matilda) e Guilherme Briggs (Leonardo). Algumas falas foram nidificadas para ter um toque brasileiro como “santa pururuca“.

Angry Birds 2 ainda aposta muito no humor, que em alguns momentos se tornam cansativos, mas ele se torna superior ao primeiro filme por desenvolver melhor os personagens.

Assista o trailer:

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.