Crítica: Aquaman


O personagem Aquaman não é o mais querido no universo da DC, mas o herói das águas mostra que o estúdio tem ouvido os fãs e apresenta um filme diferente. O diretor James Wan buca mostrar que por trás de um homem aquático também tem seus poderes.
A história apresenta, de forma bem detalhada, quem é o Aquaman. O filme segue as linhas dos quadrinhos e apresenta Arthur Curry (Jason Momoa) fruto do amor do humano Tom (Temuera Morrison) com a rainha Atlanna (Nicole Kidman). Ela foge de Atlântida e de um casamento arranjado para encontrar felicidade e uma família na Terra, mas é obrigada a voltar.
Com isso, Arthur cresce na terra com seu pai e vai conhecendo sua história aos poucos por Vulko (Willem Dafoe). Arthur tem um meio irmão Orm (Patrick Wilson), o príncipe de Atlântida, que em busca de poder declara guerra à superfície.


Aquaman deixa o universo sombrio muito utilizado pela DC desde o Homem de Aço para trazer um filme mais próximo dos padrões da Marvel. O novo longa possui aspectos que lembram os quadrinhos e isso se dá na direção de James Wan (Jogos Mortais) que trabalha com enquadramentos estáticos e abusa das cenas sem corte, principalmente na cenas de ação que dão pouca oportunidade do público respirar.
A franquia da Warner aposta no mundo fantasioso e não faz questão em tornar o personagem parte do nosso mundo, com isso a maior parte das cenas acontecem no fundo do mar. O roteiro do filme aposta em uma história mais simples de se entender, sem que o público precise ter uma bagagem sobre o herói. As lendas, histórias e mitologia são apresentadas conforme é necessário e a oriegem do herói tem tanta importância que o grande embate com o vilão Arraia Negra (Yahya Abdul-Mateen II) se torna deslocado e secundário.
Aquaman ainda aposta em diversos momentos de alívio cômico, mas sem quebrar a proposta do filme – apesar de algumas piadas sem graça.
Jason Momoa precisa ter elementos de herói para unir o mar e a terra, mas o seu estilo canastrão é o que faz com que Aquaman se torne divertido. A relação entre Amber Heard, que dá vida a princesa Mera, e Momoa é outro ponto forte da produção e a atriz apresenta mais uma personagem feminina forte e determinada como a Mulher-Maravilha. Já a atriz Nicole Kidman mostra que é o grande nome de peso do filme e que mesmo com um papel menor ela sempre se destaca, assim como o ator Willem Dafoe.


Aquaman pode ser visto como um filme de origem, apesar de o personagem já ter sido apresentado antes, e isso faz com que ele seja interessante não só para os fãs de HQ, mas também para um novo público.
Assista o trailer:

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.