Critica: Detetive Pikachu

Se você cresceu nos anos 2000 vai se lembrar que o Pokémon era febre no Brasil e que um bonequinho amarelo com bochechas vermelhas fazia a alegria da criançada. Os jogos japoneses Pokémon Red e Blue, criados em 1995, expandiram e se tornaram uma franquia bem sucedida com desenho, card, bonecos, álbum de figurinha, até um centro de diversão no Japão e agora chega aos cinemas com uma versão live-action.
Os monstrinhos ganharam novas cores para estrear na telona com “Detetive Pikachu”. A história conta a aventura de Tim Goodman (Justice Smith) que vai até a cidade de Ryme e é informado da morte misteriosa de seu pai. Ao tentar se conectar com este novo universo, ele se depara com ex-parceiro Pokémon do pai, um Pikachu (Ryan Reynolds) falante e sem memória. Juntos eles investigam a morte misteriosa do policial e descobrem uma conspiração que amarrava o mundo dos humanos e dos Pokémons.

Detetive Pikachu não traz grandes novidades. O filme, dirigido por Rob Letter, se baseia no jogo de mesmo nome criado para o Nintendo 3DS. O spin-off da franquia Pokémon apresenta um jogador que precisa resolver mistérios com o auxílio de um Pikachu falante. O roteiro de Detetive Pikachu é fraco, pois a história é rasa, com diversos clichês e reviravoltas previsíveis. Entretanto, o longa que apresenta a aventura e amizade de um ser humano com um monstrinho de bolso irá agradar os pequenos e é este o público que a produção cinematográfica pretende atingir ao lançar o filme com mais de 90% das salas com versão dublada.
Baseado na franquia Pokémon, criado por Satoshi Tajiri, o Detetive Pikachu encanta pela sua qualidade técnica. Além de Ryme City estar colorida e ganhar detalhes de cidade, o que mais impressiona é a qualidade dos Pokémons. Cada bichinho ganhou uma textura condizente com seu personagem, onde é possível perceber que personagens das primeiras gerações são mais lisos e os monstrinhos mais modernos já ganham texturas mais realistas.
Para quem conhece o universo japonês irá se divertir vendo Pikachu, Psyduck, Charizard, Eevee, Bulbasaur, Charmander, Squirtle e outros Pokémons ganharem versões realistas e passearem pela história de forma natural.


Como informado anteriormente, o Detetive Pikachu será distribuído com diversas cópias dubladas e isso dificulta a análise de atuação de Ryan Reynolds, que dá voz ao Pikachu. A Warner Brasil contou com o estúdio DELART e o dublador Philippe Maria deu vida para o bichinho amarelo, enquanto Fred Mascarenhas volta a dublar Justice Smith.
Analisando a atuação é possível perceber que a química entre o bichinho e o jovem Tim Goodman casa bem em cena. Contudo, o ator Justice possui uma atuação mediana, a sua sorte é que o personagem Pikachu é carismático e faz com que a química entre os dois renda momentos divertidos. Já o elenco secundário formado por Kathryn Newton, Ken Watanabe e Bill Nighy ganharam personagens fracos e pouco desenvolvidos no filme, apesar da relevância para a história.
Aproveitando o sucesso da franquia, Detetive Pikachu promete agradar os pequenos pela história simples e personagens fofinhos, mas os fãs dos jogos podem se decepcionar um pouco por achar a história infantil demais. É preciso lembrar que Pokémon no Japão tem como público alvo as crianças e por isso o longa-metragem esta condizente com a faixa etária que querem atingir.
Assista o trailer:

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.