Crítica: Três Anúncios de Um Crime


Chega agora em fevereiro mais um filme indicado ao Oscar de 2018. Três Anúncios Para Um Crime (Three Billboards Outside Ebbing, Missouri) apresenta uma história sobre raiva e luto, redenção e culpa. Estes sentimentos extremos dão o tom do novo filme de Martin McDonagh.
O longa-metragem apresenta a história de Mildred Hayes (Frances McDormand), moradora da cidade de Ebbing, no Missouri, que, após sete meses sem resultado da investigação do brutal assassinato da sua filha, Angela, decide cobrar um posicionamento das autoridades de forma inusitada: ela aluga três outdoors localizados à beira da estrada para mandar uma mensagem direcionada ao chefe de polícia local, o xerife Bill Willoughby (Woody Harrelson). Esta atitude de raiva e inconformismo acaba gerando uma tensão entre ela e seus familiares, a população da pequena cidade e os policiais.


O terceiro filme de Martin McDonagh (Na Mira do Chefe) critica os Estados Unidos ao se utilizar de traços cômicos para retratar o típico norte-americano, eleitor de Trump. O cineasta apresenta humor negro e personagens complexos que são retratados em um universo violento, conservador, com problemas raciais enfrentados no interior do país. Diferente do distanciamento irônico do cineasta em seus filmes anteriores, em Três Anúncios Para Um Crime o esteriótipo é intensificado e a aproximação com seus personagens faz com que seja possível compreender ações e pensamentos mais obscuros.
O roteiro, também escrito pelo cineasta, lida com temas que fazem parte da vida das pessoas como luto, depressão, culpa, racismo e violência doméstica. Mas o texto é tão bem escrito que não é necessária manipulação emocional e nem intervenção de câmera e edição, afinal o roteiro é pontual e o núcleo pessoal é aprofundado que argumenta por si só com as causas e consequências. O longa-metragem possui uma complexidade psicológica que as escolhas dos personagens possuem elementos de heroísmo e vilanismo com reviravoltas e rumos imprevisíveis. Esta mistura de reações resume o filme que possui diversos elementos cinematográficos, mas ao mesmo tempo não pode ser definido apenas por um estilo.


Cada personagem tem seu peso na história, mas o grande destaque fica para a atuação de Frances McDormand, Woody Harrelson e Sam Rockwell que apresentam personagens intensos. Frances McDormand (Fargo) dá vida à carrancuda Mildred que propaga com força e determinação a busca por justiça pela morte de sua filha, mas em certos momentos revela suas fragilidades. Harrelson (Truque de Mestre) dá vida a um xerife ponderado e Sam Rockwell (Sete Psicopatas e um Shih Tzu) apresentam um personagens perturbado em suas emoções. As reviravoltas no roteiro permitem, durante duas horas de filme, que os personagens se tornem americanos reais.
Três Anúncios Para Um Crime é mais do que um filme que trata sobre o trabalho da polícia, a resolução de um crime e sim a fragilidade da humanidade que precisa aprender se superar cada momento de sua vida. É um longa-metragem sobre ação e reação e garanto que dificilmente você sairá indiferente da sala de cinema.
Assista o trailer:

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.