Fúria sobre Rodas é pra macho



Fúria sobre Rodas

Fúria sobre Rodas

Tem que ser muito macho para gostar de Fúria sobre Rodas, o mais novo fracasso e vergonha alheia de Nicolas Cage. Normalmente não sou impiedosa com filmes, mas logo na primeira cena você sente muita vergonha e vontade de rir. Milton, vivido por Cage, é um cara cheio de marra, loiro, que veio do inferno e que atira a torto e a direito nos inimigos – e as balas vêm na sua cara pelo efeito 3D. De cara decepa o braço de um homem que foge apavorado. Super Motoqueiro Fantasma.

Milton encontra Piper (Amber Heard), uma jovem garçonete, linda, loira, muito durona, orgulhosa e briguenta.  O cara então vê que seria sua parceira ideal. Os dois saem em missão dirigindo um Dodge Charger 69 Turbo para salvar a netinha de Milton, que será sacrificada em um ritual satânico, liderado pelo cruel Jonah King (Billy Burke). No meio do caminho, até uma espécie de guardião do inferno, o ator William Fichtner, vai atrás de Milton. O porquê eu não contarei.

Outro ponto do filme, de onde provem o nome, são os carros movidos a um combustível inacabável, turbinados e de alta performance. Tudo para conferir poder às perseguições policiais, macabras, demoníacas e não-terráqueas.

Mas se você for muito macho e, mesmo assim for assistir, talvez se arrependa em uma cena muito, muito, constrangedora. Imagine alguém matando seguidores do chifrudo enquanto tem relações com uma garçonete siliconada? Imaginou? Ok. Os créditos são do diretor Patrick Lussier.

Se tiver coragem, vá em frente, afinal ele tem sua graça e diversão. Só não leve as crianças, pois é violento, contem cenas de nudez, sangue, homens batendo em mulheres (aliás, as mulheres tem um papel bem inferiorizado na trama). Ou seja, é coisa de macho….

admin
admin