Vingadores: Ultimato

O audacioso projeto da Marvel iniciado em 2008 com Homem de Ferro chega à sua conclusão em 2019 com o quarto filme do conjunto de heróis da Casa das Ideias, Vingadores: Ultimato. O longa-metragem é um dos filmes mais esperados do ano de 2019 e é a continuação direta de Vingadores: Guerra Infinita. O novo filme mostra os heróis buscando esperanças para retomar suas vidas após a Decimação – o estalar de dedos do vilão Thanos (Josh Brolin) que eliminou 50% de todos os seres vivos do universo ao final do terceiro filme. Capitão América (Chris Evans), Viúva Negra (Scarlett Johansson), Thor (Chris Hemsworth) e companhia buscam, ao mesmo tempo, reverter o massacre e também procurar pelos sobreviventes, uma vez que Homem de Ferro (Robert Downey Jr.) está perdido no espaço após ser também derrotado por Thanos.

Nesse ponto, Ultimato não perde tempo tentando situar o espectador: ou você sabe o que aconteceu no último filme ou tem que entender com os diálogos dos personagens. Dessa forma, essa quarta parte da saga dos Vingadores se assemelha e muito a um “episódio final” de novela ou série: aqui nenhuma nova história começa, mas todas terminam (com alguns buracos de roteiro, muitos dos quais a Marvel certamente irá aproveitar nos seus projetos futuros). Como destaque positivo, os arcos do Capitão e do Homem de Ferro são exemplares, mas, em contrapartida, o de Thor é patético. É preciso também fazer um comentário à parte sobre o vilão. Depois de anos com inimigos superficiais, a Marvel finalmente fez um rival à altura de seus heróis, pois Thanos transmite imponência, impunidade, força, medo e raiva a cada aparição em tela.

O longo filme – são 3h de ação – é, de certa forma, arrastado no seus 2/3 iniciais. Há momentos de ação? Sim e muitos deles são de tirar o fôlego. Há comédia? Sim, desde a eterna “zoeira” entre os personagens como situações engraçadas que o roteiro disponibiliza. Mas a sensação é que o impacto emocional da Decimação é pouco valorizado no primeiro ato e que o segundo ato acaba se enrolando, se tornando exaustivo por querer mostrar coisa demais para os fãs e perdendo o dinamismo marcado do filme anterior.

Quem acompanha a saga dos heróis desde o começo, por sua vez, irá se deliciar com as inúmeras referências a arcos dos quadrinhos ainda não abordados nos cinemas e também os lembretes dos filmes anteriores, tanto os individuais quanto os do grupo.

O terceiro ato, por sua vez, é talvez a hora mais frenética, energética e bem executada desses 11 anos de filmes da Marvel. Sem querer revelar muito da história, basta dizer que nenhum espectador – fã de carteirinha ou não – sairá infeliz do cinema com a grande batalha preparada por Anthony e Joe Russo, diretores, produtores e roteiristas do filme.

Vingadores: Ultimato, no fim das contas, se propõe e acaba conseguindo ser o maior evento cinematográfico do século XXI. É o encerramento de uma história contada ao longo de onze anos, 22 filmes, inúmeras histórias e incontáveis personagens. Nem de longe é um filme perfeito, pois deixa vários questionamentos e buracos, mas ele resume todo o espírito dos filmes da Marvel: é um épico repleto de ação e humor, com boas doses de drama e que, acima de tudo, finaliza a “Saga do Infinito” (nome dado pela Marvel para esse ciclo) com chave de ouro. Se você é fã dos heróis prepare o lencinho, pois o filme pode te levar as lágimas.

Detalhe: O filme possui cenas muito escuras e isso foi criticado pelo público. Para ajudar os curitibanos que querem assistir ao filme com qualidade a nossa dica é assistir ao Vingadores na nova sala do Cineplus TSX Laser que conta com um projetor 4K a laser RGB , fabricada pela empresa americana Christie Digital, que traz mais cor e contraste para o filme. Além disso, a sala tem um som imersivo Dolby Atmos  com oito caixas no teto, oito atrás da tela, dezesseis nas laterais e seis no fundo da sala. A sala TSX Laser tem espaço para todos os fãs da Marvel com 420 poltronas, a maior sala de Curitiba.

Assista o trailer:

 

Fábio Torres
Fábio Torres
Fábio é formado em jornalismo e especialista em Novas Tecnologias. Sua paixão é o esporte, mas por conta da convivência se viu cercado pelas artes e se deixou levar pelos acordes musicais diferentes.