Começou a Mostra Paranaense de Dança 2019

Kevin Coquelard (Crédito: Lars F. Menzel)

Colaboração de Sheila Irene Gorski

Começou no feriado, 01, a Mostra Paranaense de Dança 2019 que abrilhantou os sentidos e sentimentos do público, no palco do Guairinha. Com a apresentação de cinco bailarinos de diversos países, premiados do festival alemão Internationales Solo-Tanz-Theater Festival Sttutgart, o público foi provocado a reflexões e admiração.
A primeira apresentação foi do francês Kevin Coquelard, que também foi o coreógrafo de “Le Sonanmbule“. O espetáculo revela um homem em momento de introspecção com seus pensamentos. O público é levado pelo vermelho de seus sapatos a uma rapidez do fluxo de sentimentos do bailarino.
Já a bailarina italiana Tonia Laterza trouxe a coreografia de Roberta Ferrara, “Equal to men”, que debate a força dos seios e o corpo feminino, levando a plateia a dúvidas sobre igualdade. Muita força e precisão na coreografia.
Da Lituânia, Lukas Kasvelis traz sua coreografia “Black Spots”, primeiramente nos mostra uma mulher que se insinua, extravagante, brincando com a situação. Então se interrompe para um segundo momento da coreografia, onde se despe dessa personagem, e traz outra identidade.
Outra italiana na noite foi Frances Bedin, que trouxe “In dieser Frau”, coreografia de Guilia Menti, que vai se revelando em suas descobertas do que é feminilidade. Faz o público refletir sobre o que é o padrão feminino, motivos que a sociedade foi se moldando como é. Uma desconstrução do padrão.
Para fechar à noite teve força, precisão e leveza de “Maa Labyrinthe”, com coreografia e dança de Souleymane Ladji, da Burkina Faso. O espetáculo impressionou o público ao mostrar um homem em sua busca por se reconhecer num espaço delimitado. A procura por equilíbrio está em seus movimentos e técnica. Ao fim os cinco bailarinos fizeram uma cena e deixaram o público aplaudindo em pé.

Colaborador
Colaborador