Dança: Frestas


Nesta quarta-feira, 19, o Teatro Guaíra recebe Eliane Fetzer com o espetáculo “Frestas” com Jazz Contemporâneo em que mescla diferentes perspectivas de espaços entreabertos e as relações neles presentes.
Com grandes estruturas que permitem a luz entrar no palco, os bailarinos têm suas histórias reveladas ora na penumbra, na escuridão ou até mesmo na luz. O espetáculo aborda o olhar curioso das relações, fazendo um paralelo sobre o que se busca naquilo que aprisiona e a liberdade das ações em um território despretensioso de si mesmo, usando as frestas como elemento de ligação entre as perspectivas de quem está fora ou dentro da história.
Com 16 bailarinos em cena, “Frestas” também mostra o jogo de poder entre homens e mulheres, usando como artifício cênico os figurinos de MariCloss Dancewear. Tudo é sutil e curioso, quando existe a possibilidade de olhar a fresta pelo outro lado. É quando ocorre a virada do espetáculo e tudo é revelado. A cenografia é do arquiteto, urbanista, cenógrafo e carnavalesco Felipe Guerra, profissional apaixonado por musicais.
As estruturas assumem o papel de metáforas da vida, que vai virando e mudando as nossas perspectivas. Esse é o melhor espetáculo da EF Jazz Company, devido a seu caráter forte e bastante visual”, comenta a coreógrafa Eliane Fetzer.
Frestas” também marca a nova fase de Eliane Fetzer, que transitou durante muitos anos pela dança contemporânea e o jazz dance, tendo espetáculos premiados nas duas modalidades e sendo convidada constantemente como jurada em festivais nacionais, dada a sua referência no cenário da dança nacional. Com este espetáculo ela opta em definitivo pelo jazz , trazendo as influências de anos dedicados ao contemporâneo.
Chegando aos 30 anos de carreira, senti que valia a pena dar foco na minha base, que é o jazz. Mas sempre terei a referência da liberdade da dança contemporânea nos meus balés”, diz Eliane Fetzer. Em “Frestas”, é possível observar a convivência da dança em sua harmonia: do jazz, o espetáculo explora a sensualidade do corpo, a fluidez dos movimentos, o isolamento dos membros superiores; do contemporâneo, fica a força, a autoria e a metáfora da vida na escolha de movimentos do bailarino, que passa a ter mais liberdade dentro da coreografia.
No dia 19, Eliane Fetzer também apresenta “Imperare”, sua obra mais recente e relevante de dança contemporânea. Apresentado em 2017 no Guairinha, essa obra mostra sete bailarinos em cena, retratando uma trama vivida em um tempo de soberania, onde se apropriam jogos dissimulados e defendem seus espaços durante as cenas.
Serviço
Data: 19/06/2019
Horário: 20h30
Local: Centro Cultural Teatro Guaíra (Rua XV de Novembro, 971 – Centro)
Ingressos: R$ 26,00 (inteira) e R$ 13,00 (meia)

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.