DANÇA: Preset

A Casa Hoffmann recebe esta semana o espetáculo de dança contemporânea idealizado pela bailarina e pesquisadora Marila Velloso. “Preset” parte das memórias do corpo e do movimento para criar imagens que refletem os discursos pessoais da artista sobre questões consideradas emergenciais por ela: as ruas, as condições político-sociais, a discussão vivencial e a prática da diversidade e a própria dança.
Traços autobiográficos fazem parte do processo: o papel como mulher, mãe, avó, filha, artista, professora, indignada, entre outros, fortalecem o posicionamento sobre os limites e as possibilidades do corpo na dança: “O Preset tem um lugar de assumir o que eu sou, do jeito que eu sou, o jeito como o meu corpo está nesse momento e na hora de dançar. Esse é um reflexo da minha vida pessoal e da profissional, sem querer ser nada além”, afirma.
A improvisação em tempo real é um das características do trabalho, abrindo um espaço para que a reflexão sobre os limites e possibilidades do corpo sejam evidenciadas: “É um espaço que eu tenho para escolher, dentro do desenho, o que eu tenho: se eu pauso, se eu acelero, se uso o clássico ou o jazz, trabalho com esse menu de possibilidades”.
Criada na infância em cidade do interior, no início da década de setenta, ao som de canções nacionalistas e hinos de futebol escutados por meio de alto-falantes nas praças, estas influências se tornaram ruídos para o desenvolvimento do trabalho. Durante a encenação, depoimentos de outras pessoas são usados para refletir realidades contrastantes e com valores similares: “É a voz de outros que me acompanham na cena e na vida constituindo não apenas outro olhar para a dança, mas também reestruturando meus modos de leitura de mundo”, afirma.
A utilização de recursos tecnológicos, que tem sido uma característica nos trabalhos da artista nos últimos anos também aparece em Preset. A artista aposta no uso de sensores e, por meio do Kinect, para refletir e vivenciar autonomias e co dependências: “Cada vez mais corpo tem a condição e poder de criar, selecionar, mudar padrões e lógicas. A tecnologia é o corpo e o possibilita um outro jeito de mostrar uma imagem. É uma interface para comunicação, junto ao som e a voz, os discursos, as ambientalizações, forma-se uma caixa sonora”, avalia.


Serviço
Preset
Data: 07 e 08/11/2018
Horário: às 19h
Local: Casa Hoffmann – Centro de Estudos do Movimento (Rua Claudino dos Santos, 58, São Francisco)
Entrada gratuita
Classificação: 16 anos

Danielle Mei
Danielle Mei
Danielle é formada em Jornalismo e mestre em Comunicação. A alemã que ensina inglês gosta mesmo é de ler e ouvir música boa, mas quando precisa escreve sobre diversos estilos culturais.