Folclorize

Está chegando a 58ª edição do tradicional Festival Folclórico de Etnias do Paraná, o Folclorize. Ao longo de 13 noites, de 30 de junho até 12 de julho, o Festival leva ao palco do Teatro Guaíra apresentações folclóricas de 16 grupos étnicos, com música e dança. O evento celebra a diversidade cultural de muitos dos povos colonizadores do Paraná, que fazem parte da construção da identidade local.

Desde 2017, com a adoção do tema “Folclorize”, o Festival vem trabalhando ativamente na divulgação do folclore para a população, num esforço para manter vivas as tradições e conduzir o público a um caminho de autoconhecimento a partir do contato com a origem, a história e a cultura de seus antepassados. 

Confira a programação:

30/06 às 18h – Abertura com Grupos Folclóricos da Aintepar;

01/07 às 20h30 – Centro Espanhol do Paraná;

02/07 às 20h30 – Folclore Grego Neoléa e Grupo Folclórico Siciliano Isola el Sole;

03/07 às 20h30 – Grupo Folclórico Polonês do Paraná Wisla;

04/07 às 20h30 – Grupo Folclórico Ucraniano Poltava;

05/07 às 20h30 – Folclore Ucraniano Barvinok;

06/07 às 20h30 – Grupo Folclórico Nipo-Brasileiro Nikkei;

07/07 às 19h – Centro de Tradições Brasileiras Querência Santa Mônica e Grupo Folclórico Germânico Original Einigkeit Tanzgruppe da Sociedade Thalia;

08/07 às 20h30 – Grupo Folclórico Italiano Anima Dantis e Grupo Folclórico Raízes de Bolívia;

09/07 às 20h30 – Grupo Folclórico Germânico Alte Heimat;

10/07 às 20h30 – Grupo Folclórico Holandês de Castrolanda e Grupo Folclórico Piccola Itália;

11/07 às 20h30 – Grupo Folclórico ítalo Brasileiro Santa Felicidade;

12/07 às 20h30 – Conjunto de Canto e Dança Junak. – Encerramento

Serviço

Folclorize – Festival Folclórico de Etnias do Paraná

Data: De 30/06 a 12/07/2019

Local: Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto – Guairão

Ingressos: R$ 50

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.