Festival de Trufas


Que tal experimentar pratos especiais feitos com trufa? O chef Dudu Sperandio utiliza a iguaria durante o Festival de Trufas do Ernesto Ristorante. A partir de hoje, 08 de novembro, o restaurante vai oferecer um cardápio exclusivo com diversas opções de pratos com trufas brancas e negras, selecionadas diretamente pelo chef em Alba, uma comuna italiana da região do Piemonte.
O menu completo, que custa R$ 390 (trufas brancas) ou R$ 250 (trufas negras), conta com vários preparos, começando por um amuse-bouche de creme de abobrinha com funghi porcini fresco. Na sequência, o cliente poderá escolher uma entrada, um prato principal e uma sobremesa. Para a entrada, a casa oferece quatro opções: o tradicional ovo frito com gema mole, leve fonduta de Grana Padano e trufas frescas; o creme de batata salsa com ricota cremosa e trufas frescas; a polenta cremosa com fonduta de Grana Padano e trufas frescas; e o tartare de mignon, com azeite de oliva, gema crua e trufas frescas.
Como opção de prato principal, o chef também desenvolveu quatro diferentes preparos: o clássico taglietelle fresco feito em casa na manteiga e trufas frescas; o tortelloni de batata com ricota na manteiga e trufas frescas; o taglietelle com lascas de presunto Parma, nata fresca, Grana Padano e trufas frescas; e o mignon grelhado com risoto cremoso de Grana Padano e trufas frescas. Já a sobremesa poderá ser selecionada no cardápio de sobremesa da casa. O menu do festival conta com aproximadamente 20g de trufas por pessoa e caso o cliente escolha algum prato individual, fora do menu completo, as trufas são cobradas à parte, por grama.
Serviço
Festival da Trufa
Data: A partir de 08/11/2018
Horário: de terça a sábado, a partir das 19h30
Local: Ernesto Ristorante (Rua Myltho Anselmo da Silva, 1483 – Mercês)
Mais informações: (41) 4141-5477

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.