As Aventuras de Pauleco e Sandreca no Planeta Água

Neste sábado, 31, o Teatro Guaíra recebe o musical infantil “As Aventuras de Pauleco e Sandreca no Planeta Água. O espetáculo, que comemora os 25 anos da Palavra Cantada, e os 50 anos do Grupo Giramundo, apresenta bonecos em cena, de vários tipos e tamanhos, e narra uma história lúdica e divertida, inspirando, por meio da música, as crianças e suas famílias sobre a importância da água e da preservação da natureza.

O espetáculo tem mais de dez personagens em cena, sendo Pauleco (inspirado em Paulo Tatite Sandreca (inspirada em Sandra Peres) os protagonistas. Em uma progressão emocionante, eles se conhecem ainda crianças, ao se protegerem durante uma forte tempestade, mas que acaba em um lindo arco-íris. Dessa chuva, nasce um novo amigo e importante personagem da história, o Pingo (voz e música de Fabio Brazza), ele é a natureza viva que se expressa, mas sempre aparece e desaparece, fazendo com que a dupla Pauleco e Sandreca esteja em sua busca constante. Pingo se apresenta ao público com um rap e suas falas são rimadas e cheias de swing.

Em um desses momentos de aparições e sumiços, Pingo é engolido pelo Ralo, um falante personagem que vive reclamando das coisas que passaram a ser descartadas nele e dos problemas que isso causa.

A dupla está sempre acompanhada da Bolsa Mágica que Sandreca carrega e interage com eles a todo instante, carregando muitas surpresas. O Relógio da Amizade é outro personagem que acompanha a aventura.

Durante o caminho e com o passar do tempo, marcado pelo Ratinho, um interlocutor da aventura, outros amigos vão surgindo e ajudam a contar essa história. No Rio Tietê, por exemplo, conhecem o Rejeito, um enorme boneco de apenas 6 anos. Sandreca e Pauleco se tornam os primeiros amigos do personagem e na companhia deles Rejeitose mostra muito feliz, criativo e parceiro, ajudando a procurar soluções para o aquecimento global e reciclagem de resíduos. No lago, encontram o Trom Pet, feito de garrafas pet recicladas e que agora é um trompetista super divertido, com sotaque francês e cheio de autoestima.

Ainda nas andanças de Pauleco, Sandreca e sua trupe, um grande encontro: na praia, conhecem a velha e sábia Maré (voz de Fafá de Belém, também intérprete da canção tema), que esteve mansa durante muito tempo, mas devido aos problemas de aquecimento global e derretimento das geleiras, anda muito brava e descontrolada. Esse novo acontecimento leva Pauleco e Sandreca até a Antártida, onde conhecem Greta, a líder política de um grupo de pinguins em manifestação pela preservação da espécie, que está ameaçada pelo aquecimento global.

O trajeto ainda reserva visita a lugares como o Mangue Pernambucano e Selva Amazônica, onde os bonecos amigos encontram outros companheiros que vivem na água e na natureza. Chica (homenagem a Chico Science) é uma carangueja pernambucana-pop que habita no mangue e mostra à turma que há vida e riqueza onde não se espera. Os Irmãos Xingu, índios siameses inspirados nos Bancos Indígenas do Xingu, falam sempre juntos o mesmo texto. Eles vão revelar aos protagonistas o desmatamento das nossas florestas com a presença da Tribo Feiosa dos Moto Serras.

Juntos nessa jornada, Pauleco, Sandreca e toda trupe percorrem esses locais onde exploram e descobrem a importância da água, sua função na natureza, a relevância da conservação das florestas, geleiras e outros fenômenos naturais. Falam especialmente do aquecimento global, além de outros temas que tratam das ameaças ao meio ambiente. 

A montagem conta com Fernando Salém (Criação da História); Sandra Peres (Direção Geral, Direção Musical, Produção Musical e Direção Artística); Beatriz Apocalypse (Direção Artística, Direção de Cena e Criação de Bonecos); Ruriá Duprat (Direção Musical, Produção Musical, Arranjos e Regência); Paulo Santos (Participação Especial). O espetáculo é idealizado e realizado pela Palavra Cantada e fomento e comunicação da Oficina de Alegria.

Serão 11 canções que embalam as aventuras de Pauleco, Sandreca e sua trupe de amigos. Paulo Tatit, Sandra Perese seus tradicionais parceiros Luiz Tatit e Zé Tatit compuseram 10 dessas canções. O Rap do Pingo foi composto e interpretado por Fabio Brazza.

As músicas da montagem têm a participação especial de Paulo Santos, do extinto grupo UAKTI, que utilizou vários instrumentos inusitados, além de percussão na água, como parte da execução dos arranjos das canções e trilha sonora.

Este musical é a realização de um antigo desejo da Palavra Cantada, que este ano comemora 25 anos. Eu e o Paulo Tatit tínhamos uma coleção de músicas em torno do tema água e ao mesmo tempo queríamos dar vida aos personagens Pauleco e Sandreca, que as crianças conhecem de nossos clipes.”; explica Sandra Peres, da Palavra Cantada.

O cenário será formado por vídeos (mapping), animações e objetos que também interagem com os 40 bonecos, criados especialmente por Beatriz Apocalypse, do Grupo Giramundo. Essa foi a primeira vez que o grupo utilizou resíduos e materiais de descarte como garrafas e lixos manipuláveis para a confecção dos bonecos de diferentes tamanhos, variando entre 20cm e 2,50m. Os tipos dos personagens também variam, são bonecos de sombra, luvas e de balcão, controlados por 6 marionetistas. O Grupo Giramundo contou com a parceria da Asmare (Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reaproveitável)na coleta do material utilizado.

Para Beatriz Apocalypse, do Grupo Giramundo, esse espetáculo marca uma data muito importante: Para mim, é o início das comemorações dos 50 anos do Giramundo. Um espetáculo de Bonecos criados com objetos descartáveis, brinquedos, eletrônicos, roupas, madeiras, visando uma maior conscientização de todos. Tudo pode ser imaginado, sonhado e transformado. Que venham mais 50 anos do Giramundo, mutante como a Água e encantador como a Palavra Cantada.”

Serviço

Data: 31/08/2019

Horário: 1ª sessão às 15h15e 2ª sessão às 18h15

Local: Teatro Guaíra (Praça Santos Andrade s/n- Centro)

Ingressos:

Plateia – R$ 80,00 (inteira) e R$40,00 (meia-entrada);

1º Balcão – R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia-entrada);

2º Balcão – R$ 40,00 (inteira) – R$ 20,00 (meia-entrada)

Informações: (41) 3315-0808

 

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.