TEATRO: O Meninos Quadradinho

O Teatro Bom Jesus recebe, a partir do dia 22 de setembro, a montagem infantojuvenil “O Menino Quadradinho e o Tempo das Palavras”, com direção de Fátima Ortiz. Serão somente quatro apresentações.
O “Menino Quadradinho”, personagem de Ziraldo, tinha esse apelido graças a sua paixão por histórias em quadrinhos. Diziam que ele estava preso nas histórias, mas nas páginas coloridas do gibi ele fazia amigos e vivia em um mundo cheio de aventura e imaginação. O espetáculo teatral musicado “O Menino Quadradinho e o Tempo das Palavras” levará esse universo de Ziraldo na adaptação de texto de Enéas Lour e Fátima Ortiz e com música de Rosy Greca.
O projeto também conta com 96 oficinas de teatro, música e artes visuais que, desde fevereiro de 2018, acontecem no Hospital Pequeno Príncipe. Essas vivências ocupam, não só o Setor de Educação e Cultura da instituição, como também os quartos, ambulatórios e corredores. Ao longo de seis meses as atividades levarão os pacientes a uma imersão no mundo da literatura infantojuvenil brasileira.
Coordenado por Rosy Greca, o projeto conta também com oficinas de Soluá Carneiro e Rafael Wolff. “A arte tem o poder de cativar as pessoas e humanizar as relações. A partir dela, pode-se levar alegria, beleza e entretenimento para aliviar as dores e dificuldades”, comenta a coordenadora e oficineira do projeto, Rosy Greca, que reforça o quão gratificante é o envolvimento e curiosidade dos pacientes e familiares. “Aqui é uma escola da vida, solidariedade, amor, troca, aprendizagem e muita emoção. Faz com que questionemos os nossos valores e passemos a valorizar mais a saúde da nossa família”, avalia.
Serviço
O Menino Quadradinho e o Tempo das Palavras
Data: 22 e 23/09/2018
Horário: 22, 23 de setembro 2018 – 16h
29 de setembro 2018 – 15h e 17h
Local: Teatro Bom Jesus (Rua 24 de Maio, 135 – centro)
Ingresso: R$23 e R$ 13 (meia)
Crianças até 06 anos não pagam

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.