Encontro literário do Graciosa

Didi Caillet  (3)
Hoje (23), acontece mais um Encontro com a Palavra, evento literário do Graciosa Country Club e a homenageada é a poetisa Didi Caillet. O pesquisador Paulo Koehler, que escreveu um livro e prepara um documentário sobre Didi, discorre sobre a importância desta personagem histórica, que movimentou a cidade a partir dos anos 1920.
Ex-Miss Paraná e autora de três livros, Marie Delfine Caillet, ou simplesmente Didi, foi a primeira mulher a gravar um disco de poesia no Brasil. Também esteve à frente de atos pela maior participação das mulheres na política e em outras áreas. Faleceu em 1982, deixando saudades como uma das primeiras “musas” do Paraná. O evento é organizado pelo Conselho da Biblioteca Bento Munhoz da Rocha Netto, do Graciosa.
A curiosa história de Didi marca importantes momentos culturais na cidade. Com 19 anos, foi a primeira paranaense a disputar o concurso de Miss Brasil nos anos 1920. Não saiu vitoriosa, mas demonstrou elegância e nobreza, conquistando o público do evento e promovendo a imagem do Paraná. Ela iniciou diversas modas em Curitiba, de perfumes a cortes de cabelo, passando até pelos carros: em uma época em que era incomum mulheres dirigindo, Didi desfilava com uma “baratinha”, conversível importado da marca Nash. Hoje, há uma praça na cidade com seu nome, relembrando sua influência. No Graciosa, animava as noites de domingo declamando versos com desenvoltura, gerando aplausos dos graciosanos.
Paulo Koehler é psicanalista, professor, escritor, fotógrafo e pesquisador, autor de “Didi Caillet – A Musa dos Paranistas”. Estudou a fundo a intensa vida cultural e social de Didi, comentando ainda sobre sua relação com o cinema na época. A obra apresenta detalhes de sua vida, enquanto apresenta também parte da história do Graciosa, por sua convivência e ativa participação social.
Serviço
Encontro Com A Palavra – Didi Caillet
Data: 23/04/2015
Horário: 19h30
Local: Sede Social do Graciosa

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.