LITERATURA: Teatro De Bonecos Dadá – Memória E Resistência


O Museu Oscar Niemayer recebe neste sábado, 06, a jornalista Dinah Ribas Pinheiro para o lançamento do seu livro “Teatro De Bonecos Dadá – Memória E Resistência”. A publicação, construído no formato de abecedário e com uma linha do tempo cronológica, narra todos os assuntos relacionados à história do grupo Dadá, como a luta política, o exílio e, claro, seus trabalhos com teatro de boneco.
O Teatro de Bonecos Dadá atuou durante 50 anos ininterruptos (de 1964 a 2014), realizando mais de 100 montagens. Fundado, na década de 60, por Euclides Coelho de Souza, Adair Chevonika e Mirian Galarda, foi um dos precursores do gênero de Teatro de Bonecos em Curitiba. Caracterizado por forte luta política, o grupo foi exilado no Perú e Chile, nos anos 70, por conta da Ditadura Militar. Em suas montagens sempre priorizaram autores democratas e libertários. Dentre suas principais peças, destacam-se: Chapeuzinho Vermelho, em uma versão revisitada e não maniqueísta; O Sonho do Pongo, de José Maria Arguedas; A Nuvem Apaixonada, baseada em um conto de Nazin Hikmet; O Burrinho Vermelho, de Jean-Loup Temporal e Dadá Vence o Diabo, de Germán List Arzubide.
Para a escrita do livro, Dinah Ribas Pinheiro se utilizou de folhetos, documentos, recortes de jornais, certidões, convites, programas de espetáculos e, sobretudo, de horas de conversas e entrevistas com Euclides Coelho de Souza, um dos fundadores do grupo.
Por meio de verbetes, pode-se acompanhar a trajetória do grupo em suas peças, seus parceiros, suas lutas pela construção de políticas públicas de cultura, suas criações, que conversavam com a arte e a educação, bem como todos os embates políticos que viveram.
Serviço
Teatro De Bonecos Dadá – Memória E Resistência
Data: 06/04/2019
Horário: das 10h às 14h
Local: Pequeno Auditório do MON ((R. Mal. Hermes, 999 – Centro Cívico)
Ingressos: Entrada Franca, mediante retirada de convite na bilheteria do MON
Mais informações: 3350-4400)

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.