Novos títulos na Gibiteca

No sábado, 11, a Gibiteca de Curitiba recebe o lançamento de três títulos da editora Quadrinhópole: Gralha: Tão Banal quanto Original, o segundo volume da coleção Clássicos Revisitados e o segundo volume de Undeadman: A Saga de um Imortal.
Gralha
Após 13 anos de inatividade nos quadrinhos, o super-herói curitibano está de volta no álbum Gralha: Tão Banal quanto Original. Idealizado por José Aguiar e editado por Antonio Eder e Leonardo Melo, traz o Vigilante das Araucárias em novas aventuras. O segundo volume conta com HQs de José Aguiar, Antonio Eder, Tako X, Abs Moraes, Rogério Coelho, Nilson Müller, JJ Marreiro e muitos outros.
Clássicos Revisitados
O segundo volume da coleção tem como tema Monstros Noir, histórias de detetive com monstros da literatura. Os escolhidos foram: Drácula, de Leonardo Melo e Walkir Fernandes; O Médico e o Monstro, de Abs Moraes e Ivan Sória; Capelobo, de Alex Mir e Rafael Oliveira; O Ethon Maltês, de Leonardo Melo e Will; O Chamado de Cthulhu, de Jozz; King Kong, de Matheus Moura e Antonio Eder; O Homem Invisível, de Laudo; Frankenstein, de Gian Danton e JJ Marreiro, A Bela e a Fera, de Ana Recalde e Erick Carjes e A Lenda de Bewolf, de Carlos Machado e Paulo Kielwagen.

Capa “Clássicos Revisitados”

Undeadman
O segundo álbum de Undeadman: A Saga de um Imortal conta as aventuras do imortal Jason de Ely, passadas durante a Idade Moderna. Neste volume ele se mete no confronto entre mouros e espanhóis, irá para a Índia, volta ao Japão em um momento crucial de sua história, descobre a origem sobre a lenda do Drácula e sobre as viagens de Gulliver, além de desvendar os planos e segredos de seu grande inimigo, Profano.
Serviço
Data: 11/10/2014
Horário: 19h
Local: Gibiteca de Curitiba (Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533, Solar do Barão – Centro)
Entrada Franca

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.