A mescla certeira do Skank

(Crédito: Fábio Torres)

(Crédito: Fábio Torres)

Existem alguns artistas que quando lançam um novo trabalho se focam nele e esquecem das canções que os trouxeram para o sucesso, este não é o caso do Skank. A banda mineira desembarcou no Teatro Positivo, na última sexta-feira (28), com a turnê de divulgação do disco “Velocia”, o primeiro de músicas inéditas da banda em seis anos, mas trouxeram na bagagem também os discos anteriores. A banda formada por Samuel Rosa, Henrique Portugal, Lêlo Zabeti e Haroldo Ferretti estava acompanhada de um trio de metais.

Os meninos começaram a noite apresentando “A Noite”, do disco novo, em seguida já veio um grande sucesso que fez o público curitibano levantar das cadeiras e assim permaneceram até o fim. Na segunda música já foi possível perceber que o Skank sabe fazer um show com tudo o que o povo gosta, novas músicas, sucessos e conversas com os presentes. “Vamos falar do tema que mais interessa os mineiros na atualidade”, brincou o vocalista. Samuel fez referência os times Cruzeiro e Atlético Mineiro, atuais campeões no futebol, mas mostrou conhecer também o futebol paranaense ao citar os estádios da região. “Uma Partida de Futebol” foi o estopim para incendiar o teatro que acompanhou em coro todas as canções.

(Crédito: Fábio Torres)

(Crédito: Fábio Torres)

Mas todo início de turnê não é as mil maravilhas e além de uma confusão com o set-list, que não tirou o bom humor da banda. O vocalista desabafou “Vocês deveriam ter a visão que temos aqui do palco de vocês. É tão legal quando a iluminação funciona tão bem”, realmente a iluminação e os oito telões que se encaixam dão um toque especial para a performance que contou com canções como “Saideira”, “Do Mesmo Jeito”, “Ainda Gosto Dela”.
Com o teatro lotado e num clima familiar a apresentação seguiu com mais sucessos como “Jackie Tequila”, “Acima do Sol”, “Três Lados”, “Vou Deixar”, “Garota Nacional”. Mas a diversão também teve seu momento de conscientização política com a música “Multidão”, do novo disco que foi gravado em parceria com BNegão, e inspirado nas manifestações que aconteceram durante a Copa das Confederações. O refrão de “Te Ver”: “É como não morrer de raiva com a política”, também foi cantado com veemência pelos curitibanos que mostraram seu descontentamento com a situação em que vivemos.

(Crédito: Fábio Torres)

(Crédito: Fábio Torres)

Mas a noite ainda não tinha acabado, depois de um clima de balada protagonizado por Henrique Portugal, foi a vez dos mineiros acalmarem e partirem para um momento mais light com as músicas “Esquecimento”, “Sutilmente” e “Vamos Fugir”.
O show foi chegando ao fim com “Resposta” e “Dois Rios” e deixando um gostinho de quero mais para os jovens casais e famílias inteiras que puderam conferir uma apresentação simplesmente inesquecível.

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.