Blindagem e Orquestra Sinfônica

A Blindagem e a Orquestra Sinfônica do Paraná apresentam o “Rock em Concerto III”, mesclando rock e música erudita. A única apresentação será no próximo dia 25 no teatro Guaíra. O repertório inclui clássicos como “Oração de Um Suicida”, “Cheiro do Mato” e “Além do Silêncio”.

A Blindagem é uma lenda do rock paranaense. Deriva da banda Chave, que tocou em Curitiba entre 1969 e 1979, tornando-se uma das mais importantes da cidade. Naquela época, as bandas de garagem começaram a surgir, acompanhando a contracultura, como o movimento Hippie, ao som de The Beatles, Led Zeppelin, The Who e The Stones.

O guitarrista e vocalista da Chave, Paulinho Teixeira, explica que a produção de rock naquela época era como um caminho a ser seguido. “A banda se isolava do mundo, em uma chácara ou lugar afastado, em busca de inspiração”, comenta.

Paulo Juk comenta da produção cultural na Ditadura Militar. As notícias sobre o exílio de Caetano, Gil e Gal Costa eram muito presentes na vida da Chave. “Nós éramos contraventores sociais e isso nos diferenciava do resto da sociedade. O fato da gente também ter músicas proibidas era o máximo”. E complementa: “todo momento, era revistado na rua e nos shows por ser cabeludo e andar com roupas diferentes”.

O que permanece na Blindagem, que já vem da Chave, é a amizade. “Ivo Rodrigues e Paulo Teixeira que seguiram a viagem na espaçonave Blindagem. Encontraram amigos músicos que se tornaram compadres e irmãos no mesmo amor pelo rock”.

O trabalho que será apresentado nos próximos dias foi inspirado em uma apresentação similar da banda Scorpions e a Filarmônica de Berlim e entre Deep Purple e a Royal Filarmônica de Londres.

Mais informações: www.teatroguaira.pr.gov.br

Site Blindagem

Danielle Mei
Danielle Mei
Danielle é formada em Jornalismo e mestre em Comunicação. A alemã que ensina inglês gosta mesmo é de ler e ouvir música boa, mas quando precisa escreve sobre diversos estilos culturais.