Fim do Skank

O Skank irá se separar e sem previsão de volta. O vocalista, Samuel Rosa, anunciou para Mônica Bergamo que os músicos seguirão caminhos distintos, mas antes eles farão uma turnê de despedida para 2020 com os maiores sucessos da carreira.
A banda mineira possui 30 anos de carreira e lançou 10 discos de estúdio. O final da banda foi uma decisão do vocalista, para seguir novos rumos. “Nesse momento, para mim, a melhor forma de me surpreender e de surpreender as pessoas é fora do Skank”, explica Samuel. “Quero me testar em outro ambiente musical, com outros parceiros. Cara, são 30 anos tocando com as mesmas pessoas! Já fiz de tudo lá. Está na hora de brincar um pouco, sabe?”
A decisão foi acatada pelos outros ingressantes que afirmam não haver qualquer briga. “É um grande desafio pessoal para cada um. Pode ser extremamente saudável nos reinventarmos”, disse o tecladista Henrique Portugal. “Não precisa nem da decadência, nem da guerra para terminar alguma coisa”, diz o vocalista e guitarrista Samuel Rosa.
De qualquer forma a decisão não é definitiva e o líder afirma que espera voltar com a banda, mas não sabe quando, e que se voltar, será de uma outra forma, em um projeto pontual.
Ainda tenho pretensão de voltar a tocar com o Skank. Vislumbro isso lá na frente. Só que de uma outra forma, em outra circunstância, em algum projeto pontual”, disse ainda o vocalista à Folha de São Paulo.
A turnê de despedida terá sua agenda anunciada em janeiro, mas os curitibanos poderão aproveitar um pouco mais do Skank durante o Prime Rock Brasil, que acontece no dia 07 de dezembro, na Pedreira Paulo Leminski.

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.