Forró da Lua Cheia

O Forró da Lua Cheia abre a temporada 2019 em grande estilo, integrando, pelo segundo ano consecutivo, a programação artística da Oficina de Música de Curitiba. Nesta sexta-feira, 18, terá uma parceria inédita entre os músicos Ricardo Ribeiro (voz e triângulo), André Ribas (sanfona), Denis Mariano (zabumba) e Daniel Migliavacca (bandolim), e o violinista francês Nicolas Krassik, professor convidado da Oficina.
Para o bandolinista Daniel Migliavacca, juntar a experiência de Nicolas a dos demais instrumentistas locais convidados, será uma experiência marcante para o público do Forró da Lua Cheia. “Acordeom, violino e bandolim é uma mistura inusitada de instrumentos com timbres diferentes. Quando fiz o convite ao Nicolas ele topou na hora e já pensamos no repertório. O que posso dizer é que o couro vai comer no palco, estamos todos super motivados pra este show, vai ser uma pegada forte para o público”, comenta.
Já Ricardo Ribeiro, há anos atuando no evento, ressalta: “Como músico eu posso dizer que esta noite no Forró da Lua Cheia vai ganhar muito com a participação destes instrumentistas convidados. Quem já é frequentador do evento, pode esperar uma apresentação inédita que vai abrilhantar esta noite de abertura da temporada 2019 do Forró”. Ele destaca que o show trará, entre outros, composições do Cordestinos e momentos de música instrumental de compositores aclamados como Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Sivuca e Giberto Gil.
Para completar as atrações de abertura da temporada 2019, a noite também contará com show da banda Areia Branca, residente do evento, composta por Daniel Fagundes (guitarra e cavaco), Renato Rocha (triângulo e percussão), Renan Bragatto (sanfona) e Kiko Moura (zabumba).
Para os organizadores do Forró da Lua Cheia, Renato Zóia, Sandra Ruthes e Guilherme Rolim, fazer parte da programação da Oficina de Música de Curitiba é o reconhecimento da preocupação constante com a qualidade musical do evento. “Sem dúvida, um dos fatores que levaram ao sucesso do Forró da Lua Cheia e fizeram com que ele tomasse a dimensão que tomou hoje, foi a parceria com estes grandes músicos locais que o nosso público é fã”, explica Renato. “É muito orgulho pra nós termos tanto talento musical ‘em casa’. Quando trazemos músicos como o Nicolas para se unir a eles nossa alegria só aumenta e o público agradece”, comenta Sandra.
E se no palco o sucesso da noite está garantido, com este time de músicos tocando o melhor do forró, Sandra lembra que na pista de dança a vibe também é certa: “A magia da lua cheia mais uma vez vai contagiar nosso arrasta-pé e estará presente não apenas no palco, através dos shows, mas em cada abraço de dança no salão”.
Como as edições mensais do Forró da Lua Cheia são pré-definidas pelo calendário lunar, as próximas datas para 2019 já estão agendadas. Então anote aí para se programar: 22/02, 22/03, 12/04, 17/05, 14/06, 19/07, 16/08, 13/09, 11/10, 15/11 e 13/12.


Responsabilidade Social
A edição de janeiro de 2019 do Forró da Lua Cheia vai colaborar com a associação “Amigos do Caximba”, organização comunitária que oferece gratuitamente às crianças da área de invasão do Caximba, em Curitiba, atividades multidisciplinares de apoio pedagógico, além de distribuição de alimentos e outras doações.
Quem trouxer um quilo de alimento não perecível, que será doado a associação, poderá adquirir o ingresso na hora do evento, na portaria, pelo valor do ingresso do segundo lote (R$ 25,00). Quem comprar ingresso por outro meio, mas ainda assim quiser colaborar é só deixar sua doação na portaria do evento.
Serviço
Forró da Lua Cheia – Abertura da Temporada 2019
Data: 18/01/2019
Horário: 22h
Local: Clube Dom Pedro II (Rua Brigadeiro Franco, 3662 – Água Verde)
Ingressos:
1º lote – R$ 20,00 (à venda no Sympla e pontos de venda*)
2º lote – R$ 25,00 (à venda no Sympla e pontos de venda*)
3º lote – R$ 30,00** (à venda na hora*)

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.