Grupo Serenô

(Crédito: Alice Rodrigues)

Quem queria ver a apresentação do grupo Serenô terá uma segunda chance hoje, 24. Em razão de uma queda de energia na região do Teatro do Paiol, na última segunda-feira, 20, o grupo curitibano Serenô ficou impedido de realizar o lançamento do seu primeiro CD. Mas o público terá a oportunidade de conferir o talento dos músicos.
O álbum, que tem o mesmo nome do grupo, registra 12 músicas autorais, já conhecidas e cantadas pelo público que acompanha o Baile do Serenô, realizado pelo grupo há seis anos, na sociedade Treze de Maio, em Curitiba. Entre as composições estão “Aguerê” e “Chuva de Mar” e a canção “Saudação ao Serenô”, que foi trilha do seriado “As Brasileiras” da Rede Globo, em 2012.
Durante um ano, conceitos, direção musical e arranjos foram construídos e executados coletivamente. Todos os integrantes do grupo fazem participações instrumentais e vocais, assim como muitas das composições resultaram de parcerias entre os componentes.
Com Roseane Santos na voz e na percussão, Dú Gomide no violão 7 cordas e voz, Evandro Cardoso “Manchinha” na gaita ponto e voz, Gustavo Proença na percussão, trompete e voz e Denis Mariano na percuteria, o “Serenô” tem mais de seis anos de estrada. Desde o início de sua trajetória enveredou pela pesquisa do samba e outros batuques brasileiros – principalmente nos temas que falam da mitologia afro-brasileira.
O compositor baiano Roque Ferreira é uma das principais influências na identidade sonora do grupo, que pesquisa também compositores que contam histórias, contos, referências rurais e possuem como tema as forças da natureza. O diferencial surge quando o Serenô compartilha essas referências com temas urbanos, como o samba de São Paulo, que possui grande força nesse conceito.
Serviço
Show de lançamento do CD do grupo curitibano “Serenô”.
Data: 24/01/2014
Horário: 19h
Local: Teatro do Paiol (Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho).
Ingressos: R$ 30 e R$ 15.

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.