Mostra de Música Instrumental

A música instrumental brasileira toma conta do Teatro HSBC, entre os dias 09 a 12 de abril, na Mostra Brasil Musical. Quatro grandes nomes da música instrumental brasileira ao lado de renomados músicos locais: Endrigo Bettega (bateria), Mário Conde (guitarra), Sérgio Albach (clarinete), Vina Lacerda (percussão), Jeff Sabbag (teclado), Paulinho Siqueira (saxofone), Sérgio Coelho (trombone), sob direção artística de Glauco Solter, que também assume o baixo das apresentações. Os convidados são: Leo Gandelman, Nenê, Daniel Santiago e Léa Freire.

“A mostra tem o objetivo de promover o contato entre a música instrumental de qualidade e público curitibano e é também uma prévia para o festival Brasil Musical que já realizamos há três anos, mas que acontece no segundo semestre. É um esquenta, com artistas de renome nacional, muito conhecidos do público apreciador da musica instrumental e da música brasileira”, comenta Glauco.

Além dos shows, meia hora antes de cada apresentação, haverá um bate papo com os artistas aberto para estudantes, músicos e interessados. “É uma oportunidade para que o público tenha um contato direto com esses grandes nomes, que fizeram carreira e sucesso em um meio difícil como a cultura neste país. É uma forma de incentivar e mostrar exemplos para quem deseja seguir este sonho e também aproximar mais os artistas dos fãs”, diz Elias Luiz Viana.

A grande expectativa da Mostra Brasil Musical está no nome do saxofonista Leo Gandelman, que se apresenta na primeira noite e para os entendidos, dispensa apresentações. Com vários discos lançados desde a década de 80, morou nos Estados Unidos e tocou com muitos artistas conhecidos, transitando da MPB ao clássico. Conquistou o público jovem e pop, e também os fãs de MPB. Da mesma forma, associou seu nome à música de concerto, em performances como solista de orquestras consagradas e em recitais de câmara.

No segundo dia, a mostra recebe nada menos que o Nenê, considerado a história da bateria brasileira. Gravou e viajou o mundo tocando com Egberto Gismonti e Hermeto Pascoal, além de outros artistas internacionais, quando morou em Paris. Já tem 11 discos lançados, o último, Inverno, em 2012. Sua importância na música instrumental brasileira se dá através da renovação e adaptação de elementos polirrítimicos a tradicionais ritmos brasileiros.

O terceiro dia está reservado para Daniel Santiago, diretor musical e violonista do grupo Hamilton de Holanda, maior nome da musica instrumental no Brasil. Já tocou com inúmeros nomes da música e seu segundo álbum solo, Metrópole, apresenta uma sonoridade contemporânea que reúne uma mistura de sons como o Jazz, a música erudita, e a música popular Brasileira. Foi apontado pela crítica nacional e internacional como um dos melhores álbuns de Jazz do ano.

Para finalizar a mostra Brasil Musical a presença feminina de Léa Freire, uma das maiores representantes da flauta no país e gravou com grandes nomes. Hoje se interessa principalmente em unir o popular ao erudito – o formalismo à improvisação, com sotaque brasileiro. Possui a produtora Maritaca que já lançou mais de 40 CDs e dois livros.

Para Glauco Solter, festivais e eventos como o Brasil Musical vêm completar uma lacuna em Curitiba, que cada vez menos possui locais para se apreciar música ao vivo. “Curitiba é um povo mais intelectualizado perante a média brasileira, tem grande público para a música instrumental e para a cultura de maneira geral. Tem público para o popular, mas também tem muito público para cultura mais elaborada, o curitibano está aberto para isso. Já temos festivais como o de teatro e a oficina de música que são muito prestigiados. O Brasil Musical se destaca como uma opção de qualidade para quem tem sede de cultura”.

Elias reforça a premissa do projeto de também ter o objetivo de formação de plateia. “Ingressos foram destinados gratuitamente a escolas públicas do ensino médio da cidade, com o objetivo de despertar nesse público o interesse pela cultura, no caso do Brasil Musical, neste caso a música instrumental brasileira”.

Serviço
Leo Gandelman – 09/04.
Nenê – 10 /04
Daniel Santiago – 11/04
Léa Freire – 12/04
Bate-papo com os músicos: 19h30.
Horário: 20h.
Local: Teatro HSBC (Av. Luiz Xavier 11 – Rua das Flores)
Ingressos: R$ 15 e R$ 7,50 (meia)

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.