Orquestra Suzuki

A Fundação Cultural de Curitiba, no programa Criança na Plateia, promove neste mês apresentação da Orquestra Suzuki. As sessões aconteceram nesse final de semana e serão dirigidas a crianças atendidas por projetos sociais da Prefeitura e no domingo o show será aberta ao público.

A Orquestra Suzuki, formada por pequenos e jovens instrumentistas, alunos de violino, viola e violoncelo da Associação da Educação do Talento Musical do Paraná, executa o Concerto crianças para crianças.

Os jovens instrumentistas tiveram a sua formação musical pelo método Suzuki, conhecido em todo o mundo por ensinar violino para crianças pequenas de uma maneira natural. Seu criador, o professor japonês Shinichi Suzuki, acreditava que o aprendizado de um instrumento musical deve começar o mais cedo possível, para que as crianças aprendam música assim como aprendem a língua materna.

Implantado no Paraná pela violinista e professora Hildegard Soboll Martins, o método agora tem continuidade com as violinistas Simone e Vanessa Savytzky, bem como com os demais professores da Associação. Recitais, concertos, cursos e também apresentações didáticas em escolas, hospitais e empresas foram realizados em Curitiba e outras cidades do Paraná, em Santa Catarina e São Paulo. O grupo participou da XII Convenção Mundial do Método Suzuki em Dublin, Irlanda, onde foi eleito o melhor grupo de música de câmera.

Serviço
Concerto crianças para crianças, com a Orquestra Suzuki
Apresentação aberta ao público
Data: 09/10/2011
Horáprio: 17h
Local: Capela Santa Maria Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro)
Ingresso: um brinquedo novo ou um livro de literatura infanto-juvenil
Apresentações dirigidas às crianças atendidas pela Fundação de Assistência Social (FAS), pelo programa Comunidade Escola e pelos Núcleos Regionais da Fundação Cultural de Curitiba:
Dias 8 e 9 de outubro de 2011 (sábado e domingo), às 15h

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.