A bossa ainda é nova

Se tem algo que o brasileiro deveria ter orgulho é da nossa cultura. A música brasileira é uma das nossas maiores riquezas e ela é tão variada que agrada a todos. Apostando em nossos gêneros musicais, Sergio Módena e Rodrigo Faour trazem para os palcos dos teatros o espetáculo “O musical da Bossa Nova” que apresenta canções que marcaram um dos movimentos mais importantes da música popular brasileira.
O musical reuniu os curitibanos interessados na boa música durante três sessões. Com olhares e ouvidos atentos foi possível fazer uma viagem no tempo, durante duas horas, e se deixar levar por histórias e canções de Vinícius de Moraes, Tom Jobim, João Gilberto, entre outros.
Assim como a bossa nova tinha um formato informal, o musical é mais livre do que os musicais comuns. Eles não se prendem a uma história com começo, meio e fim e os atores também precisam ser versáteis, afinal eles podem interpretar e cantar diversas canções durante uma mesma apresentação. “Gosto desse formato bastante informal, em que os cantores são, antes de tudo, contadores de histórias. A Bossa Nova é um estilo livre, descontraído e leve. E são esses aspectos que dão o tom do espetáculo. Rodrigo Faour levou seu amplo conhecimento musical para não só construir o repertório, mas também os textos que ligam as canções“, conta o diretor Módena.
A bossa nova é nosso cartão de visita para o mundo e é importante que as histórias que permeiam o gênero não se percam com o tempo, para que as novas gerações tenham acesso às boas composições que marcaram época. As canções clássicas como Garota de Ipanema, Só Danço Samba, Chega de Saudade, Ela É Carioca e Samba de Verão não podem se perder e o musical serve para que o público mais velho relembre os momentos em que estas musicas foram apresentadas e a nova geração conheça o movimento da MPB que se criou na zona sul carioca do final dos anos 1950, durante as reuniões de amigos que buscavam combater a tristeza que reinava nas canções nacionais com acordes de violão simples.
O musical é dividido em quatro partes: na primeira são abordadas as histórias e curiosidades sobre o nome ‘Bossa Nova’; na segunda a origem do estilo musical, as influências do passado e como o cenário musical brasileiro propiciou o surgimento do movimento; o terceiro bloco trata dos costumes dos artistas da época e os locais onde se reuniam para criar; e o último mostra como a Bossa Nova ganhou o mundo.
A nova aposta da Aventura Entretenimento se focou não apenas em atores, mas principalmente em um grupo de cantores que conseguiria passar todo o universo brasiliero da década de 50 para o palco. Com direção musical é de Delia Fischer, a passagem do “O musical da Bossa Nova” conta com Claudio Lins, Marcelo Varzea , Nicola Lama, Andrea Marquee, Ariane Souza, Eduarda Fadini, Jullie, Stephanie Serrat, Tadeu Freitas e Juliana Marins.

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.