Ilusões – Festival Internacional de Mágicas

O Teatro Bom Jesus recebe o ator, mágico e comediante Gabriel Louchard com o maior espetáculo de ilusionismo já produzido no Brasil. A apresentação Ilusões – Festival Internacional de Mágicas, acontece no dia 16 de agosto.

A produção inédita, traz ao Brasil alguns dos mais importantes artistas do mundo, entre eles o americano Christopher Hart, que deu vida ao famoso personagem “Mãozinha”, da Família Addams.

O show é uma mistura de teatro com ilusionismo moderno e vai reunir no palco os mágicos Moulla e Norbert Ferré (França), Christopher Hart (EUA), Andrélly (Brasil /Portugal) e a dupla Vik e Fabrini (Brasil), que já venceu o FISM, a “copa do mundo” dos mágicos. Ao longo de 70 minutos, “Ilusões – Festival Internacional de Mágicas” apresentará diversos tipos de habilidades como mágica cômica, tecnológica, mentalismo, mágica tradicional, escapismo e de grandes ilusões.

Entre os destaques estão a “mão flutuante” de Christopher Hart; a sensacional e mundialmente premiada esquete em dupla do “Mágico e o Boneco”, de Vik e Fabrini; um espetáculo totalmente tecnológico em que o mágico Moulla interage com um grande painel de LED, fazendo um belo número de ilusionismo, e uma mágica interativa com a plateia apresentada por Gabriel Louchard, da qual todo o público participará ao mesmo tempo fazendo com que a mágica aconteça nas mãos de cada um.  

Resgatar a mágica e a figura do mágico, aproximar o artista do seu público, divulgar e popularizar a arte do ilusionismo é uma forma de permitir que a magia sobreviva e, consequentemente, a criança que existe em cada um de nós”, explica Gabriel Louchard, que será o mestre de cerimônias, interagindo com os artistas convidados e a plateia.

Serviço

ILUSÕES – Festival Internacional de Mágicas

Data: 16/08/2019

Horário: 21h

Local:Teatro Bom Jesus (Rua 24 de Maio, 135– Centro).

Ingressos:a partir de R$35 + taxas.

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.