Marco Luque volta a Curitiba


Marco Luque está de volta a Curitiba e apresenta o seu mais recente espetáculo “1, 2, 3 Testando“, que mistura stand up com apresentações de personagens e improviso. Com realização da Prime, o espetáculo acontece no próximo dia 18 de novembro no palco do Teatro Positivo – Grande Auditório.
Reunindo toda a experiência como ator, humorista, dublador e apresentador, Luque mostrará ao público paranaense várias surpresas e improvisos no show que mistura stand up e personagens populares na tevê e no YouTube. Não ficarão de fora alguns de seus personagens mais carismáticos como Mustafary, um vegetariano preocupado com a sustentabilidade do planeta, que estourou nas redes sociais com seu vídeo sobre o “serumaninho”, um cachorro que o perseguiu em uma praia, o motoboy Jackson Five e seu preciso relato sobre a difícil convivência entre motos e carros nas Metrópoles e o taxista Silas Simplesmente, que incrementou seu táxi para agradar aos famosos.
Além das presenças de alguns de seus personagens mais carismáticos o show conta com a participação de Fernandinho Beat Box, o beatboxer mais famoso do Brasil.
Serviço
Marco Luque – “1,2,3 Testando”
Data: 18/11/2017
Horário: 21h15
Local: Teatro Positivo – Grande Auditório (R. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300)
Ingressos: variam de R$40,00 (meia-entrada) a R$150,00 (inteira), de acordo com o setor.
Plateia Vermelha – R$150,00 (inteira) e R$80,00 (meia-entrada);
Plateia Azul – R$140,00 (inteira) e R$75,00 (meia-entrada);
Plateia Amarelo – R$130,00 (inteira) e R$70,00 (meia-entrada);
Plateia Roxo – R$120,00 (inteira) e R$65,00 (meia-entrada);
Plateia Laranja – R$110,00 (inteira) e R$60,00 (meia-entrada);
Plateia Rosa – R$100,00 (inteira) e R$55,00 (meia-entrada);
Plateia Verde – R$70,00 (inteira) e R$40,00 (meia-entrada).
Informações: (41) 33150808

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor

Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.