Peça Para Adultos Feita Por Crianças

(Crédito: João Caldas)

Já pensou em assistir a um espetáculo adulto feito por crianças? A dramaturga Elisa Ohtake cria junto com cinco crianças uma versão de Hamlet, partindo do entendimento singular de cada uma delas sobre a obra. “Peça Para Adultos Feita Por Crianças” reflete sobre a humanidade e é apresentada nas particularidades do universo infantil.
O espetáculo de teatro contemporâneo inverte papéis. O texto foi escrito com a participação das crianças. “Elas pensam, dançam, atuam Hamlet a partir das próprias experiências de vida, a partir da condição singular de cada uma. Mergulham em Hamlet, ou seja, na apoteose da consciência humana, na entidade do mundo ocidental em crise, para aí sim poderem fazer estudos do transumano em cena, para ampliar nossa noção de humanidade”, diz a dramaturga e diretora Elisa Ohtake.
A montagem não é um teatro infantil apropriado também para o público adulto, mas um teatro feito por crianças para adultos. O elenco conta suas próprias tragédias hamletianas e inventa jogos e brincadeiras para que os adultos possam combater a chatice. “A peça vasculha como o mundo infantil pode potencializar o mundo adulto e vice-versa, passando longe de banalizações como ‘infantilização do adulto’ ou ‘adultização das crianças’. A pesquisa está em dar espaço para o devir adulto e o devir criança acontecerem”, diz a diretora.
O espetáculo tem a participação de Paulo Cesar Pereio, que sobe ao palco para uma performance emocionante nos últimos 15 minutos da peça. “A escolha de Pereio, grande ator aparentemente oposto ao mundo infantil, é crucial. Ele é deslocado de seu ambiente habitual para outras complexidades poderem acontecer”, explica.
Serviço
Peça Para Adultos Feita Por Crianças
Data: 29 e 30/03/2019
Horário: 19h
Local: Sesc da Esquina

Link: http://festivaldecuritiba.com.br/evento/peca-para-adultos-feita-por-criancas/

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.