São Francisco deu pra noix

A CiaSenhas de Tetro se despede da sua sede que lhe abrigou durante 10 anos na rua São Francisco – no centro histórico de Curitiba. A despedida se dá por dois motivos principais: falta de recursos, no momento, para responder às despesas de manutenção do espaço e também pela necessidade de encontrar um lugar mais adequado para as atividades.
Para marcar este momento foi criado o projeto São Francisco deu pra noix. A programação contempla apresentações de dois espetáculos que nasceram e fizeram temporadas na sede: Os Pálidos (de 26 a 29 de setembro) e O homem Piano – um instalação para a memória ( de 17 a 20 de outubro), sempre as 20hrs. Os ingressos serão distribuídos no sistema “pague quanto quiser” e a arrecadação da bilheteria irá contribuir para as despesas de mudança.
Haverá também um bazar bota-fora no dia 28 de outubro a partir das 15h com apresentações artísticas de artistas da cidade. Já estão confirmadas as presenças dos músicos Léo Fressato, Luciano Faccini e Melina Mulazani e Tato Criação Cênicas com Emiliano – teatro em miniatura.
Os Pálidos
O espetáculo Os Pálidos foi criado a partir de dois polos: a relação com o espectador (já experimentada em outros trabalhos do grupo) e a reflexão sobre estados de inércia, paralização e anestesia em um ato urgente de pensar o mundo e a cena.
Os Pálidos tem como ponto de partida dois clássicos de Luis Buñuel: O Anjo Exterminador e O Discreto Chame da Burguesia.
A peça, com texto e direção de Sueli Araujo, acontece em dois ambientes simultaneamente, dividindo a plateia, mas mantendo uma conexão permanente entre os espaços e com “os públicos”. Em cena, ao invés de personagens tradicionais, os atores exploram vozes contraditórias, visões de mundo e formas de pensamento e conduta que tentam forjar uma atitude, construir um gesto que faça a diferença no mundo. Porém, são seres paralisados, medicados e em estado de absoluta suspensão. Em dissonância a este estado das coisas, a cena é revestida com diversos tipos de plantas, investindo na possibilidade de percepção da vida para além da quase morte e apatia das figuras da montagem.
Ao mesmo tempo em que o espetáculo aciona um tipo de humor desestabilizante e estabelece pontos de relação com o espectador, cria espaços de discussão sobre criação de condições de sobrevivência e de formas de estar junto. São situações em que um tipo de micropolítica está sugerida.
Em Os pálidos, artistas e público, buscam saídas e entradas em um jogo potente de presença. Trabalha com a ideia de que, segundo Eliane Brum: estamos “Esvaziados de ilusões e de formas, aquele que precisa construir um rosto tem medo. Em vez de disputar democraticamente, o que dá trabalho e envolve perdas, prefere o caminho preguiçoso da adesão. E adere àquele que grita, saliva, vocifera, confundindo oportunismo com força, berro com verdade.” É sobre o contexto atual que vivemos e sobre escolhas.
Homem Piano – uma instalação para a memória

(Crédito: Elenize Dezgeniski)

Neste espetáculo-instalação, ator e público compartilham o espaço-tempo do aqui e agora e, tecem juntos, a memória de um homem cuja história se constrói a partir de esquecimentos e lembranças coletivas.
O trabalho foi iniciado em 2008 no projeto “Narrativas Urbanas – interferências e contaminações”, no qual os atores investigavam fatos reais com repercussão na mídia. O ator Luiz Bertazzo pesquisou possibilidades de levar à cena a angústia de um Homem que perdeu a memória, viveu a ausência de identidade e começou a se comunicar com o mundo através do piano.
A pesquisa se transformou em espetáculo contemplado pelo prêmio Myriam Muniz. Em seu formato final, Homem Piano – uma instalação para a memória, propõe a experiência da construção de memórias entre público e ator num espaço/instalação em que teatro, ficção e realidade se misturam. O público é conduzido pelo ator por três andares. No percurso ele é convidado a recordar suas memórias mais felizes ou tristes e se quiser, ao final, poderá doá-las ao personagem.
Neste trabalho a experiência da recuperação das memórias contempla a construção do ontem que reverbera no hoje e nos projeta para o amanhã. No movimento entre lembrar ou esquecer sugerido no trajeto do espetáculo surgem questionamentos e inquietações silenciosas:“Devo lembrar ou esquecer do afeto que me causa saudade, lembrar ou esquecer daquela humilhação inconfessável?”.
Serviço
São Francisco deu pra noix
Os Pálidos:
Data: 26 a 29/09/2018
Horário: 20h
Local: Sede CiaSenhas (Rua São Francisco, 35)
Ingressos: Pague quanto quiser

O Homem Piano – Uma Instalação Para Memória
Data: 17 a 20/10/2018
Horário: 20h
Local: Sede CiaSenhas (Rua São Francisco, 35)
Ingressos: Pague quanto quiser

Bazar Bota Fota
Data: 28/10/2018
Horário: 15h
Local: Sede CiaSenhas (Rua São Francisco, 35)
Entrada Franca

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.