TEATRO: Ícaro

(Crédito: Fernanda Chemale)

O ator e bailarino Luciano Mallmann aposta na dramaturgia e interpreta seis histórias diferentes no monólogo “Ícaro”. A montagem mistura realidade e ficção e apresenta um verdadeiro mosaico sobre a diversidade humana.
Em cena, o artista se desdobra em seis histórias com algo em comum: são depoimentos ficcionais de cadeirantes. O espetáculo provoca uma reflexão sobre a fragilidade humana. A inspiração partiu da experiência do próprio artista gaúcho e de depoimentos de pessoas que tiveram lesões medulares que ele conheceu depois que passou a usar cadeira de rodas. Em 2004, ele ficou paraplégico após uma queda durante um exercício de acrobacia.
Não há cenário, nem marcações bruscas. Dirigida por Liane Venturella, “Ícaro” valoriza a interpretação e surpreende pela forma com que o ator explora o corpo durante as cenas. A precisão dos movimentos foi um elemento fundamental para expressar as limitações físicas de cada personagem. Surgem, em cena, a modelo, o lutador, a mãe, o ator e o acrobata. Ao longo de 70 minutos, Luciano Mallmann dialoga com o público sobre temas como preconceito, resiliência, relações familiares e amorosas, suicídio, maternidade e gravidez.
Por trás da deficiência, existe uma pessoa que tem histórias. Isso é o mais importante e também o que provoca a identificação com a plateia. A peça desperta essa quebra de paradigma. Não adianta nada os cadeirantes estarem integrados à sociedade, mas sempre serem vistos de forma diferente pelos outros”, diz Mallmann.
Serviço
Ícaro
Data: 06 e 07/04/2109
Horário: sábado, às 21h e domingo, às 19h
Local: Sesc da Esquina
Link:https://festivaldecuritiba.com.br/evento/icaro/

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.