Fechados pela Vida

Os casos de Covid-19 dispararam na cidade de Curitiba nos últimos dias. A capital paranaense, que há poucas semanas comemorava o controle do coronavírus, tem 85% da capacidade total de leitos de UTI para covid-19 ocupadas, número que acendeu o sinal de alerta no poder público.

Os números dos últimos dias fez com que empresários de Curitiba motivassem a atuação do movimento “Fechados pela Vida”, composto por quase 200 comércios do setor de gastronomia, entretenimento, bares, salões e lojas.

Agora, o grupo acaba de lançar um abaixo-assinado online para angariar assinaturas e pressionar as autoridades a decretarem lockdown na capital paranaense. Em poucas horas, o movimento já conseguiu mais de 7 mil assinaturas na plataforma Change.org (https://bityli.com/6OtOb). “O poder público precisa agir rápido para evitar o colapso do sistema de saúde e ter um plano de ação para que o lockdown seja efetivo, com fiscalização ampla. Os casos cresceram assustadoramente nos últimos dias, não podemos mais perder tempo. Além disso, precisamos de mais apoio às pequenas empresas que são as mais afetadas e as que menos receberam ajuda financeira“, comenta a empresária Janaína Santos, uma das organizadoras do movimento.

No manifesto publicado no abaixo-assinado, o movimento analisa o crescimento dos casos na cidade e critica a Prefeitura de Curitiba, que flexibilizou o fechamento do comércio e liberou o funcionamento de estabelecimentos de grande fluxo de pessoas, entre eles shoppings e igrejas. “O resultado hoje é claro: o aumento de pessoas infectadas e um sistema de saúde à beira do colapso. Precisamos que o lockdown seja adotado mais cedo possível para que os efeitos econômicos, já enormes, sejam os menores possíveis”, diz o manifesto do “Fechados pela Vida”, destacando que há muito tempo pede que a Prefeitura de Curitiba assuma seu papel de liderança no combate à epidemia e decrete o fechamento, por igual, em todos os setores da economia e um lockdown severo, rápido e eficaz. 

Além do lockdown imediato, o movimento pede controle do transporte público; plano de ação de combate à pandemia, com o estabelecimento de fases e períodos; plano econômico para sobrevivência de empresas, principalmente pequenas ou médias, profissionais autônomos e desempregados; desburocratização das linhas de crédito do BNDES, que são oferecidas pela Fomento Paraná; diretrizes para fiscalização de aglomerações e ambientes que possam ser de grande contágio, sejam eles públicos ou privados, para que as normas de distanciamento social sejam respeitadas; redução/subsídio de tributos municipais e estaduais; plano de reabertura baseado nos seis critérios de flexibilização da quarentena sugeridos pela OMS; e campanhas educativas para conscientização e educação da população em cada estágio do enfrentamento da pandemia.

Para assinar o abaixo-assinado, acesse o link: https://bityli.com/6OtOb. Mais informações nos perfis oficiais do “Movimento Fechados pela Vida” no Instagram, Facebook e Twitter ou pelo e-mail fechadospelavida@gmail.com.

 

Tamie Ono Lor
Tamie Ono Lor
Tamie é jornalista e possui especialização em Novas Tecnologias da Comunicação. Ela está sempre querendo absorver um pouco do mundo que a cerca, de preferência com uma câmera na mão. A oriental respira cultura e seu trabalho é também sua diversão.